sábado, agosto 13, 2005

Saudades

Estes poemas devem ficar juntos... a final de contas, são os 2 sobre alguém de quem tenho muitas saudades.

Here’s my soul

Stupid death
Just tell me why
Why everybody is in pain
Why everyone must die

It hurts so much
And the pain isn’t even mine
But they are so close
I don’t want them to die

As tears flee from my eyes
My heart bleeds
And I stop believing
Nothing is as it seems

Life and reality hurt
It cuts me so deep
But I can’t do anything
I can only weep

And yet I don’t feel better
I just feel lame
Death hurts
And life… the same

CH 11/06/00

A chuva cai forte

A chuva cai forte
Mas não nos lava a alma
Leva o que nos rodeia
Até o que nos acalma

É fria e forte como nós
Como o negro do nosso ser
É serena e voraz
E vem apenas para nos arrefecer

Mostra-nos o mundo feio
Cruel e fatal
Não nos deixa ver a luz
E o que há para além do mal

Talvez nos acorde
Nos faça ver o que nos rodeia
Ou talvez apenas faça doer
A atice a nossa fogueira

A fogueira do sentir
A fogueira do querer
A fogueira que nos faz lutar
E eventualmente morrer

Morte inevitável
Tão certa e fria
Sempre à espreita
Até que certo dia...

Perdemos a vontade
Perdemos a cor
O coração bate
Mas os olhos mostram dor

Que venha ela!
Já nada nos assusta
O corpo não sente
Já nada nos custa

Leva-nos do mundo injusto
Que nunca soubemos perceber
Leva-nos em paz
Para o que sempre sonhámos ser

CH 01/03/01

4 comentários:

Dumb disse...

Saudade...

Não adianta lutar contra ela. Sabes, tambám eu tenho saudades de muita gente, e de muita coisa que fazia e agora não posso...

Mas nada pode devolver aqueles que a vida nos tirou. Há quem acredite que um dia voltaremos a vê-los...

"O coveiro que o diga quantas vezes se apoiou na enxada, e o coração que o conte quantas vezes já bateu por nada..."

AnaBond disse...

como me leio nos poemas...

beijo grande

Anónimo disse...

Excellent, love it!
»

Anónimo disse...

best regards, nice info » »