quinta-feira, junho 30, 2005

Obigado a todos pelas vossas palavras. Foi de facto um post "forte" mas achei que começava a fazer com o blog o que faço no meu dia-a-dia: fingir q tá tudo bem e sempre em altas... Pois, achei que n o devia fazer, queria cumprir o que escrevi no primeiro dia.

Quanto à minha irmã, não pus nem vou pôr nunca em causa o que sentimos uma pela outra, nem poria em causa o sentimento que a minha morte poderia ter nela. O que pus em causa foi basicamente a minha participação na sua vida, que é cada vez menor.

Coisasdemim - Quanto a contar com Deus... pois... agradeço o conselho, mas não gozamos de uma grande relação.

Ana bond, partilho a tua opinião que as pessoas vão por aparência aos funerais... nunca me tinha ocorrido o cenário do internamento....boa alternativa, mais verdadeira e menos mórbida.

Lamento se "desiludo", mas o que escrevi foi completamente sentido. Não uso as minhas palavras de ânimo leve. De qq modo, podem n ter sido entendidas como queria. E não julgo que seja exagero o que eu disse, e que haverá muitos que sintam a minha falta... Não haverá, serão poucos, mas como se costuma dizer poucos mas bons. (mana incluida)
Imaginar o nosso funeral não complica a nossa vida, é uma maneira de avaliar, de criar um cenário. Quem quiser pode imaginar uma festa, o resultado será porventura o mesmo.
A solidão é uma questão de hábito, como costumo dizer, e não me lamento por isso. Lamento sim as minhas escolhas que teimam em n ser correctas, mas nunca desisti.

De qq modo, gostava de parar de amadurecer uns meses. E a minha irmã sabe o que quero dizer com isto.

Obrigado à blogosfera.

15 comentários:

Ana disse...

Não desiludes e podes ter a certeza que até hoje só tenho é sentido orgulho de ser tua irmã. Quanto ao resto... também eu já disse coisas que foram mal interpretadas... mas como me disseram na altura: é o que sentimos e pensamos e não devemos ter vergonha disso. Espero que continues a escrever o que te vai na alma e que por vezes é tão dificil verbalizar... também me acontece muitas vezes... Espero que a blogosfera seja tão "gentil" para ti como foi para mim... e que responda sempre aos teus apelos... por uma palavra, um ombro amigo ou um sorriso, eu sei que vou responder sempre e se tudo correr bem, dentro em breve esta distância que fez que tanto tu como eu participassemos menos na vida uma da outra vai diminuir, e vais ver que vais chegar ao ponto de desejar que eu não te tivesse sempre a chatear.
Jokas grandes da tua sis que te adora

Anónimo disse...

"Não! Por favor, não! Custa-me tanto ver-te partir. Ver-te ir embora. Mesmo que seja por um dia. Dói-me. Nem que seja por uma hora. Dói-me no fundo, de dentro para fora. Dor sofredora de um ser solitário. Dor doentia de um ir-embora. Sinto-me tão depressivo. Tão desanimado. Sinto-me buraco acabado de escavar. Sinto-me quebrado. Partido. Abandonado. Bem sei que me amas. Eu também te amo. Mas a dor é mais forte. A solidão atrofia. Meu nome é solidão. Buraco escavado. Vazio. Escuro. Nada. Zero. Salva-me. Acende a luz que me ilumina quando estás perto. Ateia o teu fogo sobre a minha alma. Ilumina o meu ser com a tua paixão. Preciso de ti. Sem ti não posso ser. Não sou. Era. Seria. Serei quando me queimares com o teu fogo. Alegrar-me-ei com a tua presença. Com a tua esperança. Com a tua alma. Essa tão fofa alma. Amorosa. Carinhosa. Dá-me o teu amor. Sorri. Anima-me. Deixa-me dar-te o meu amor. A minha paixão. Tu és a minha paixão. Tu és o meu calor."

25-11-1999 - "Mais uma noite sem ti"

Enquanto vagueamos esta Terra, todos somos confrontados com momentos de dor e sofrimento, solidão e frustração. O que diferencia as pessoas umas das outras é o modo como reagimos a estas emoções. O modo como lidamos com os problemas do dia-a-dia.

Um beijo, e espero que um dia possas sorrir livremente com força e vontade, e principalmente, cheia de razões para o fazeres rodeada pelos teus melhores amigos.

wrong side of the moon disse...

Desculpa a intromissão, mas não resisto a comentar... Tens "ar" de quem sabe o que quer e uma personalidade bem forte. Estou enganado?... talvez, também não sou adivinho, é só um feeling.
Agora o que realmente gostava de te dizer é que escreves com uma força que dificilmente deixarás de ser lida! Bem ou mal interpretada? Escreve para ti, que nós gostamos...
Have fun :o)

Dumb disse...

Por vezes a solidão pode ser uma boa amiga, por vezes também dou por mim a falar sozinho.

E se achas que tens de parar, pára. Antes hoje voluntáriamente, do que amanhã por obrigação. Arruma a mobilia dentro de ti, e depois dá os bons dias ao mundo com um sorriso nos lábios.

Take care

Loucura disse...

Acho que nao e assim tao importante quem ira ou nao ao funeral, o que mais importa é aquilo que foi feito em vida. depois de morrermos, ja nao importa. Podem ir aqueles que nos amam, e sentiram a nossa falta, agora presenças superficiais, que so vao naquela tipo picar o ponto. acho que nem aquece nem arrefece.
Mas decisoes todos nos tomamos em algum momento da nossa vida. nem tudo e perfeito. mas sao essas perfeiçoes e imperfeiçoes que nos fazem aprender a viver e a amadurecer.
beijinhos e animo

Vilma disse...

Acima de tudo, ser autêntica... sempre! Um abraço pra ti!

Salta Pocinhas disse...

Todos nós nos questionamos de vez em quando... Beijinhos

Sara MM disse...

bla bla bla mas o que tivéste foi muita coragem ao imaginar tal cenário... e ao fazeres os teus visitantes imaginar!

Mas eu passo! A correr! ok? Nao sou corajosa a esse ponto!

só nao gostei porque me assusta! Nao te conheço, mas sabendo o que fizeram já um par de amigos meus... ...BOLAS!

Rita disse...

Beijinhos, linda!

Costinhas disse...

Eu já apanhei o fim da coisa mas só te quero dizer que o cenário que imaginaste não é assim tão fora do comum.

Não acho mórbido. Acho que é a única coisa que sabemos que realmente vai acontecer, e como tal não vejo problemas em tentar imaginar como será (visto que também é a única coisa que sabemos que não iremos ver)

Quanto ao seres mal intrepertada, é um risco que aqui todos nós corremos. Porque às vezes é difícil escrever ao correr da pena e transmitir o que realmente estávamos a pensar.

Fica a certeza que se formos sempre honestos com nós próprios nunca nos devemos arrepender ou tentar reescrever o que já foi dito.

Beijinhos
Sandra

anitacanita disse...

Taina...nos ja conversamos sobre estas coisas, e sabes q me assusto um bocadinho quando falas destas coisas, mas ao mm tempo concordo que questionarmo-nos sobre tudo e sobre tudo mesmo, é bom!
Já reparaste que estás a fazer sucesso na blogoesfera? Não deve ser porque não tens nada de especial ;)
és o meu orgulho miúda!

Beijao

AnaBond disse...

Não creio que desiludas ninguém.
Queres a verdade? Acho que isso ou algo parecido já passou pela cabeça de praticamente toda a gente, mas poucas pessoas têm coragem de o admitir...

Toda a gente precisa de se isolar, mais cedo ou mais tarde. O ser humano precisa de solidão para crescer um bocadinho. Para introspecção.
Mesmo não estando sozinho fisicamente, precisamos 'desligar o cérebro' às vezes... é bom, faz bem, e quem não o faz, por vezes deveria de o fazer. Não traz mal ao mundo, e por vezes até acontece precisamente o contrário.

Não sei o que queres dizer concretamente com o parar por uns meses para amadurecer, mas creio que pelas tuas palavras e se estás a estudar, deduzo que aindas sejas 'nova' (tudo que tiver menos anos que eu, é nova... ihihiih tenho 30, for the record). Ainda tens muita vida pela frente, e ainda precisas mesmo de 'amadurecer'... mas isso acontece naturalmente. Não procures nada... o procurar (seja o que for, amor, amizades, alegria, felicidade, etc) só nos traz angústias por ver os dias passar e nada acontecer...
Não é fácil saber viver assim, sem andar à procura... já disse à tua irmã que infelizmente acho que nós, como humanos, precisamos de um grande estalo (seja algo que perdemos ou algo que passamos muito marcante) para sabermos lidar com a nossa própria existência. É triste, mas é mesmo assim... poucas pessoas sabem viver a vida sem angústias sem nunca terem passado por alguma dificuldade ou tristeza extrema.

É muito fácil dizer-te para continuares a viver como sabes melhor e não pensares muito nisso. É-me muito fácil dizer-te que as coisas vão melhorar e um dia destes vais entender o que realmente importa. Mas eu sei muito bem, pois já estive 'do outro lado' que por mais palavras que nos digam, só nós próprias sabemos o que passamos e o que queremos.

Com esta lenga-lenga toda, não te vou mudar em nada... mas espero que te dê uma pontinha de esperança, pois um dia destes vais entender o que quero dizer (espero que não leves nenhum estalo, não desejo nada disso a ninguém). Podes encontrar, provavelmente sem querer, uma parte da tua felicidade e vais andar menos à procura... e assim vais mudar a tua maneira de pensar e ser mais feliz.

E se precisares de uns meses para amadurecer (tipo sair do país ou mudar de cidade), digo-te que isso por vezes ajuda (eu pensei nisso, e depois de conhecer o sítio para onde queria ir, mudei de ideias e comecei a pensar de outra forma)... se realmente é o que queres, não hesites muito... pensa em ti, não penses é muito no futuro ;)

(desculpa a conversa de chacha)

Anónimo disse...

I have been looking for sites like this for a long time. Thank you! » »

Anónimo disse...

What a great site » » »

Anónimo disse...

Keep up the good work allergies Script lord of the rings leather wing chairs new or used saunas A ww2 jeep Outdoor sprinkler patents Cheapest price didrex http://www.subaru-outback-slush-mats.info Acyclovir 400mg insurance brio handbags Hypothyroidism high cholesterol Car part tuscon Florida cash advance payday loan pages florida cas Beruf mcse oral surgery recipes buick open golf tournament